6 dicas para sair do aluguel para o primeiro imóvel

6 dicas para sair do aluguel para o primeiro imóvel
02 maio. 2023

Listamos alguns pontos para te orientar na busca pelo primeiro imóvel, um sonho para a maior parte da população brasileira, como demonstram as pesquisas

Mesmo com todas as mudanças na sociedade e no mercado de trabalho, o brasileiro ainda sonha em obter a sua casa própria. O Censo da Moradia, realizado pelo Quinto Andar e Instituto DataFolha, mostrou que 87% dos brasileiros concordam com a frase: “Um dos meus sonhos é ter uma casa própria”. Este índice é ainda mais elevado entre os jovens de 21 a 24 anos: 91%.

Neste ano, pouco mais de um terço dos brasileiros (39%) tinham o interesse em adquirir uma casa, conforme o Quinto Andar. Boa parte destas pessoas buscam sair do aluguel para o seu primeiro imóvel. Veja, abaixo, 6 dicas para adquirir o seu primeiro imóvel:

1. Analise o contexto econômico

Um dos cenários importantes antes de dar um passo como a compra do primeiro imóvel é analisar o contexto econômico. Embora o país esteja em um momento de altas dos juros, o que influencia o valor do financiamento, existem excelentes oportunidades de compra, especialmente dos estoques disponíveis do período pré-pandemia. Entenda mais neste artigo.

O ano de 2022, inclusive, foi positivo para as empresas do setor. Houve aumento de 9,2% em relação a 2021, com 156.730 unidades comercializadas – entre imóveis novos e usados. Além disso, cerca de 130 mil unidades foram lançadas em todo o país no ano passado, o que indica um estoque à disposição dos interessados. Os dados são da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).

2. Avalie imóveis em lançamento ou na planta

Procurar imóveis em processo de construção ou próximo das entregas trazem mais segurança ao comprador. Isso, porém, impacta no preço a ser pago: quanto mais cedo um comprador negociar, menores tendem a ser os valores do imóvel. Por isso, optar por um imóvel de lançamento ou na planta pode facilitar a compra do primeiro imóvel.

3. Foco no planejamento financeiro

A compra do primeiro imóvel exige um planejamento financeiro. É preciso reservar recursos para os valores de entrada, uma renda compatível com os gastos mensais do financiamento, além de uma reserva adicional para o pagamento de taxas e impostos, como ITBI, transferência e registro do imóvel.

Estes são valores obrigatórios para garantir o primeiro imóvel no seu nome. Na sequência, é possível pensar na decoração dos sonhos, seguindo as mais variadas tendências! Em alguns casos, vale visitar os imóveis decorados, que permitem morar de imediato sem preocupações.

No quesito financiamento, é importante que se faça uma pesquisa extensa para identificar as instituições financeiras com as taxas mais atrativas do mercado. Em uma compra desta magnitude, conseguir reduzir juros e taxas impacta diretamente no custo final do imóvel.

4. Não esqueça do FGTS

Trabalhadores contratados pelo regime da CLT contam com saldo em FGTS, um recurso que serve justamente no processo de negociação do financiamento. Além de ser aplicado na entrada, ele também pode ser usado para amortizar ou quitar uma dívida. Para muitas famílias, trata-se de um recurso “invisível”, mas com capacidade de contribuir para o sonho do primeiro imóvel.

5. Defina os seus critérios de compra

Cada família conhece a sua realidade e necessidade. É preciso estabelecer alguns critérios antes de investir em um bem de longo prazo como um imóvel. Nesse contexto, há aspectos fundamentais que não devem ser esquecidos antes de fazer sua proposta pelo primeiro imóvel:

– Localização – Talvez seja o item mais relevante nas grandes cidades. A infraestrutura urbana próxima, especialmente o transporte público, conta muitos pontos – até mesmo pensando em uma venda futura.

– Preço – Estabeleça um teto a ser gasto e procure não ultrapassá-lo, sob o risco de não ter um financiamento aceito.

– Planta – Avalie o número de cômodos necessários e outras comodidades importantes.

– Áreas comuns – Quando se fala em um apartamento, considere também as áreas comuns, que interferem diretamente na experiência de moradia.

– Incorporadora – Há empresas com mais ou menos experiência neste mercado. Por se tratar de um bem de elevado valor, é importante checar o histórico e as referências a respeito da incorporadora responsável – assim como o seu padrão construtivo e de acabamento. Conheça o histórico de lançamento da Víncere Incorporadora!

6. Tenha paciência

É um sonho conseguir o primeiro imóvel, por isso as decisões devem ser feitas com tranquilidade, ponderando os principais pontos para a sua família.

É claro que existe o aspecto emocional relacionado à compra de um imóvel, mas deve-se buscar ser objetivo e frio na hora de avaliar os aspectos financeiros e práticos do imóvel. 

Conheça os nossos empreendimentos e acompanhe outras tendências do mercado imobiliário em nosso blog.

(Fotos: Daniel Castellano / SMCS)

COMPARTILHE:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Qual o impacto da Taxa Selic no mercado imobiliário?
Autor: Vincere Incorporadora

Qual o impacto da Taxa Selic no mercado imobiliário?

Indicador básico de juros do país, a Selic se torna uma referência para as demais taxas do país, inclusive...

As vantagens de morar perto do trabalho
Autor: Vincere Incorporadora

As vantagens de morar perto do trabalho

A localização de um imóvel é de extrema importância e pode estar alinhada aos afazeres diários, como trabalho e...

Corretor de imóveis para locação residencial: qual o seu papel?
Autor: Vincere Incorporadora

Corretor de imóveis para locação residencial: qual o seu papel?

Estamos acostumados a ver este profissional nas negociações de vendas, mas qual o papel do corretor de imóveis para...