Saiba como evitar a dengue no condomínio

Saiba como evitar a dengue no condomínio
01 abr. 2024

Estimular a conscientização entre os moradores e funcionários é necessário, além de adotar outros cuidados no dia a dia: veja quais são

O Brasil passa por uma epidemia de dengue desde o final do ano passado, com o aumento das temperaturas e do número de casos da doença espalhados pelo país. Só no Paraná, estado que costuma ter um clima mais ameno em relação aos demais e menos propício à reprodução do mosquito, foram contabilizados mais de 90 mil casos de dengue.

Com esse alerta, a preocupação está em tentar eliminar os focos do mosquito. O cuidado é maior em áreas que concentram mais pessoas, como os condomínios, onde a transmissão pode ser ampliada e com mais consequências.

Por isso, hoje vamos falar sobre a dengue no condomínio e o que fazer para evitá-la. Vamos lá?

Como acontece a transmissão?

A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti. Apesar de semelhante ao pernilongo, o Aedes é menor e tem o corpo preto com listras brancas.

Após a picada do mosquito, a doença pode levar de 2 a 12 dias para se manifestar. Os principais sintomas são febre alta, dores no corpo e de cabeça, fraqueza muscular e surgimento de manchas vermelhas pelo corpo. 

Apesar de a dengue não ser transmissível entre humanos, quando um mosquito pica uma pessoa infectada, o vírus se multiplica dentro do inseto. Com isso, ele passa a transmitir a doença nas próximas picadas – o que aumenta a incidência de transmissão em aglomerações. Essa contaminação só é possível a partir da picada de uma fêmea de Aedes.

Pessoas com sintomas de dengue devem procurar os postos e médicos de suas cidades para receber orientações e cuidados. Nos casos mais graves, a doença pode até mesmo levar a óbito.   

Como evitar a dengue no condomínio?

A prevenção da dengue no condomínio começa com a conscientização dos condôminos de que é preciso uma força-tarefa para evitar a proliferação do mosquito. Para isso, comece com informativos e comunicados online – como os grupos de WhatsApp – e físicos (em elevadores e corredores) sobre a importância da participação de todos.

Veja algumas ações a serem tomadas pelo síndico e administradores de condomínio:

– Mantenha a caixa d’água fechada e coloque tela nos canos que extravasam água;

– Verifique todos os vasos de plantas e possíveis locais onde pode haver o acúmulo de água, como fontes ou espelhos d’água;

– Realize o tratamento da água da piscina e de áreas que tenham água e pouco uso;

– Fique atento aos entulhos de obras e à coleta de lixo;

– Mantenha as calhas limpas;

– Cheque periodicamente se há acúmulo de água no fosso do elevador e nas tubulações de água.

Além dos cuidados por parte do condomínio, é preciso que os condôminos também fiquem atentos a focos nos apartamentos. Para isso, deve-se orientá-los para:

– Vasos sanitários e ralos com pouco uso;

– Bandejas de ar-condicionado, de frost free e do filtro de água;

Vasos de plantas.

E todos os outros locais que possam acumular água.

Com esses cuidados, é possível manter o mosquito da dengue bem longe dos condomínios. Seja um bom vizinho e ajude a espalhar os cuidados para evitar a disseminação da doença!

COMPARTILHE:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

9 dicas para a compra do primeiro imóvel
Autor: Vincere Incorporadora

9 dicas para a compra do primeiro imóvel

Separamos 9 conselhos para te ajudar na compra do primeiro imóvel e passar por esse processo de forma mais...

Expo Revestir 2024: tendências e lançamentos para os novos projetos
Autor: Vincere Incorporadora

Expo Revestir 2024: tendências e lançamentos para os novos projetos

Maior evento da América Latina aconteceu mês passado, em São Paulo, e reuniu mais de 300 marcas expositoras de...

Quais as tendências de tecnologia para moradia?
Autor: Vincere Incorporadora

Quais as tendências de tecnologia para moradia?

A Consumer Electronics Show, considerada a maior feira de tecnologia do mundo, está cada vez mais trazendo novidades para...