Você conhece os telhados verdes?

Você conhece os telhados verdes?
26 jun. 2024

Coberturas vegetais em empreendimentos residenciais ou comerciais estão se difundindo em todo o mundo, gerando benefícios para os moradores e para as cidades

Os telhados verdes ou as coberturas vegetais são uma técnica de arquitetura sustentável que vem ganhando popularidade em todo o mundo. Na prática, trata-se da instalação de uma camada de vegetação sobre uma estrutura impermeabilizada no topo de edifícios.

Alguns municípios, inclusive, criaram legislações de modo a obrigar que os empreendimentos façam este tipo de investimento, em razão de seus benefícios ambientais, econômicos e sociais, como a melhoria da qualidade do ar, redução do efeito ilha de calor urbano e aumento da biodiversidade em áreas urbanas.

Neste artigo, vamos esclarecer o que são os telhados verdes, os cuidados necessários em sua construção, as espécies de plantas mais adequadas, as diferenças entre os tipos e a possibilidade de integração com painéis solares. Esse último, inclusive, faz com que o investimento seja ainda mais sustentável.

Em 2019, o mercado global de telhados verdes era estimado em US$ 1,1 bilhão. A expectativa é que o seu crescimento anual seja de 17% entre 2020 e 2027. Os dados são da consultoria Grand View Research.

O que é uma fachada de alta performance e por que ela pode beneficiar a sua vida junto com os telhados verdes? Explicamos aqui!

Cuidados na construção de telhados verdes

Vamos partir do princípio: o que são telhados verdes?

São coberturas de edifícios que incorporam vegetação, solo e um sistema de drenagem sobre uma camada de impermeabilização. Eles podem ser instalados em vários tipos de construções, desde residências, sobrados até grandes edifícios residenciais ou comerciais.

Quais os principais cuidados a serem tomados?

Sustentabilidade na construção: saiba mais sobre o descarte adequado e do reuso de materiais na construção civil!

Impermeabilização – Um dos aspectos mais críticos na construção de telhados verdes é a impermeabilização. A camada impermeabilizante é essencial para evitar infiltrações de água que poderiam danificar a estrutura do edifício.

Por isso, deve-se escolher a aplicar materiais de alta qualidade e seguir rigorosamente as técnicas recomendadas para garantir a durabilidade e a eficácia da impermeabilização.

Seleção das plantas – A escolha das plantas é fundamental para o sucesso de um telhado verde – inclusive facilitando a absorção de água. As espécies selecionadas devem ser resistentes, ter baixa manutenção e ser adequadas ao clima local.

Plantas suculentas, gramíneas e herbáceas são frequentemente utilizadas devido à sua capacidade de sobreviver em condições de pouca profundidade de solo e baixa disponibilidade de água.

Tipos de telhado verde – Existem dois principais tipos de telhados verdes: extensivos e intensivos.

Os extensivos têm uma camada de substrato mais fina, geralmente entre 5 e 15 centímetros. Por esse motivo, costumam ter plantas com raízes menos profundas e que demandam menor manutenção. Além disso, elas são mais leves e demandam menos cuidados, reduzindo o volume de peso adicional.

Os telhados verdes intensivos contam com uma camada de substrato mais espessa, que pode variar de 15 a 50 centímetros ou mais. Essa profundidade aumenta a possibilidade de plantas, permitindo até mesmo arbustos ou árvores pequenas. Dessa forma, aumentam-se os cuidados com manutenção e irrigação – exigindo, é claro, ainda mais planejamento da impermeabilização.

Independentemente de intensivo ou extensivo, uma tendência crescente é a combinação de telhados verdes com painéis solares. Por mais que gerem benefícios para o edifício e para as cidades, esta área tem um custo, que pode ser reduzido com a geração de energia solar: as plantas ajudam a manter a temperatura dos painéis solares mais baixa, aumentando sua eficiência.

Você sabe o que é um smart condo? Explicamos neste artigo!

Quais as vantagens dos telhados verdes?

Economia – Telhados verdes contribuem para a economia de recursos do empreendimento ao promover o reaproveitamento da água da chuva e possibilitar a captação de energia solar quando combinados com painéis fotovoltaicos. Isso pode resultar em redução dos custos com água e eletricidade.

Conforto térmico – As coberturas vegetais ajudam a isolar termicamente os edifícios, mantendo temperaturas internas mais estáveis e reduzindo a necessidade de sistemas de aquecimento e refrigeração – o que também se reflete em economia. De acordo com um artigo da Nature, a temperatura interna pode cair 1,5 grau com a sua presença.

Isolamento acústico – Os espaços urbanos são caóticos e geram uma infinidade de ruídos. Os telhados verdes contribuem para diminuir o barulho, diminuindo a poluição sonora em áreas urbanas.

Benefícios sociais e urbanos – Os telhados verdes aumentam a absorção de água da chuva, reduzindo o risco de enchentes e sobrecarga dos sistemas de drenagem urbanos. Eles também contribuem para a criação de espaços verdes em áreas densamente construídas, melhorando a qualidade de vida e promovendo a biodiversidade.

Procurando um apartamento em Curitiba, nos melhores bairros da cidade, para chamar de seu? Confira nossas opções disponíveis e venha conversar conosco.

(Imagem: Unsplash)

COMPARTILHE:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Qual o impacto da Taxa Selic no mercado imobiliário?
Autor: Vincere Incorporadora

Qual o impacto da Taxa Selic no mercado imobiliário?

Indicador básico de juros do país, a Selic se torna uma referência para as demais taxas do país, inclusive...

As vantagens de morar perto do trabalho
Autor: Vincere Incorporadora

As vantagens de morar perto do trabalho

A localização de um imóvel é de extrema importância e pode estar alinhada aos afazeres diários, como trabalho e...

Corretor de imóveis para locação residencial: qual o seu papel?
Autor: Vincere Incorporadora

Corretor de imóveis para locação residencial: qual o seu papel?

Estamos acostumados a ver este profissional nas negociações de vendas, mas qual o papel do corretor de imóveis para...