Como combinar cores na decoração?

Como combinar cores na decoração?
26 set. 2022

As cores na decoração contam com o Círculo cromático que ajuda a planejar a melhor harmonização. Entenda mais sobre as sensações de cada cor e como mesclá-las nos ambientes

Quando se fala em decorar um apartamento, os primeiros itens que vem à mente são os móveis. Há, porém, outra parte deste processo que é fundamental e pode dar um ar muito diferente para sua casa: as cores na decoração. Sim, elas podem transformar completamente um ambiente. Neste artigo, vamos mostrar alguns dos cuidados para ter sucesso neste momento.

As cores impactam completamente um ambiente, e a sua preocupação deve ser com que a sua casa tenha a sua personalidade. Alguns dos efeitos propiciados pelas cores:

Vermelho – Força e intensidade

Roxo – Poder e ambição

Azul – Estabilidade e tranquilidade

Verde – Segurança e espontaneidade

Amarelo – Energia e alegria

Laranja – Felicidade e criatividade

Como somos seres complexos, com sentimentos e percepções diversas, é difícil que a identificação se dê apenas com uma cor. Por isso, o uso das cores na decoração deve refletir a personalidade e trazer as sensações desejadas pelos habitantes do imóvel.

Conheça algumas das principais tendências da Casacor 2022!

O círculo cromático

Em primeiro lugar, vamos entender o que é o círculo cromático (conforme a imagem abaixo). Trata-se de uma roda simplificada das cores percebidas pelo olho humano dividida em 12 fatias.

Estão presentes as três cores primárias (vermelho, azul e amarelo), as três secundárias (laranja, verde e roxo) e as seis terciárias (amarelo-alaranjado, vermelho-alaranjado, vermelho-arroxeado, azul-arroxeado, azul-esverdeado e amarelo-esverdeado). Esse diagrama facilita as diversas possibilidades de cores na decoração:

Complementares – Conforme é possível verificar na imagem, elas estão em lados opostos do círculo, gerando contraste. É, talvez, a técnica de combinação de cores mais notória, passando um ar mais energético e profundo para os ambientes.

Análogas – Quando se usam os tons semelhantes, que estão lado a lado dentro do círculo cromático. Nesse caso, os tons quentes (amarelo, laranja) denotam descontração, enquanto a formalidade vem das frias. Passa-se uma sensação de continuidade e de harmonia.

Harmonia de 60º – Chamadas de “triad” neste gráfico, elas são escolhidas formando um triângulo dentro do círculo cromático. Em alguns casos, é comum que uma delas seja escolhida para predominar no ambiente, enquanto as demais estão em acessórios ou mobiliário, criando contraste e harmonia simultaneamente.

Harmonia de 90º – Observadas no gráfico como quadrado ou o retângulo (square e tetradic, respectivamente, na imagem), escolhe-se uma cor, duas análogas e uma complementar. Em geral, esse resultado traz sincronia para o ambiente.

Essas são algumas das técnicas mais recorrentes adotadas, mas nem sempre é preciso apostar em uma grande mistura, com três ou mais tons distintos.

Cores na decoração: quando o menos é mais

Para muitas pessoas, a mistura de cores pode ser algo complexo e não desejado em certos ambientes. Nesse caso, a escolha pode se dar pela lógica do “menos é mais”, também chamado de monocromatismo.

Basicamente, a decoração explora a mesma tonalidade de cores, mas em intensidades e tons variados. É comum usar paletas em degradê para que, mesmo com apenas um tom, se crie harmonia, dinamismo e elegância.

Além disso, a escolha do tipo de cor pode variar entre os ambientes. Uma cozinha pode ser monocromática nos tons de branco ou bege, por exemplo, enquanto a sala pode ter verde, azul ou vermelho como referência, misturados com cores neutras (branco, preto, cinza, castanho e bege).

Outra estratégia comum é apostar nas cores primárias em determinados acessórios ou móveis, seja em uma combinação com os tons neutros ou mescladas entre si (ao menos duas das três), pois conseguem criar referências de contraste e intensidade.

A psicologia das cores

Há uma ciência por trás da escolha das cores na decoração, já que cada uma delas provoca sentimentos e emoções humanas, como mencionamos no início do artigo. Em um momento pós-pandemia, no qual as casas se tornaram também espaços de produtividade, pode-se pensar em elementos que também trabalhem para este propósito. Veja combinações que resultam em:

– Motivação: azul, verde e branco;

– Produtividade: azul, verde, amarelo e branco;

– Inspiração: amarelo, verde e branco;

– Felicidade: verde, azul, marrom e branco;

– Criatividade: amarelo, verde e branco;

– Entusiasmo: azul, verde e branco;

– Estresse: Cinza

Misturar cores nem sempre é uma tarefa fácil, dada à complexidade e as infinitas possibilidades. Este trabalho se torna ainda mais agradável em projetos e plantas bem formatados, como as do Serra Juvevê. É possível fazer um tour virtual e pegar referências para o seu futuro imóvel! 

COMPARTILHE:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Você conhece os smart condos?
Autor: Vincere Incorporadora

Você conhece os smart condos?

Condomínios inteligentes introduzem a tecnologia à rotina, visando a integração com o meio ambiente e proporcionando boas experiências aos...

As tendências para mobiliar apartamentos em 2024
Autor: Vincere Incorporadora

As tendências para mobiliar apartamentos em 2024

Investir na cor do ano – Peach  Fuzz –, destaque para a natureza, foco na sustentabilidade e iluminação automatizada...

Bairro Cabral: a representação do que é viver em Curitiba
Autor: Vincere Incorporadora

Bairro Cabral: a representação do que é viver em Curitiba

Com excelente infraestrutura de mobilidade e de serviços, o Cabral se apresenta como ótima opção para morar e investir,...